Projeto Cultural Batuque e Marabaixo

O Projeto Cultural “Batuque e Marabaixo” visa promover um concurso de música regional com o tema: “Batuque e Marabaixo”.

Seus objetivos específicos pretendem: valorizar a cultura amapaense; Contribuir para facilitar, a todos, os meios para o livre acesso às fontes da cultura e o pleno exercício dos direitos culturais; Promover e estimular a produção cultural e artística amapaense, com valorização de recursos humanos e conteúdos locais; Apoiar, valorizar e difundir o conjunto das manifestações culturais e seus respectivos criadores;   Preservar os bens materiais e imateriais do patrimônio cultural e histórico amapaense; Desenvolver a consciência e o respeito aos valores culturais do povo amapaense; além de Priorizar o produto cultural do estado do Amapá.

O que é o “Batuque”?

O batuque é uma das manifestações de dança mais expressivas do Amapá e tem suas raízes ligadas a cultura africana. O Batuque é dançado ao som de dois tambores chamados “macacos” e de pandeiros e dança-se, normalmente, em louvor aos santos de predileção das comunidades. Os batuqueiros tocam os tambores sentado sobre estes que ficam superpostos num tarugo de acajú. Os cantores e tocadores de pandeiro e tocadores ficam juntos, no centro do salão, enquanto os dançadores fazem rápidas evoluções sobre si e ao redor dos batuqueiros, sempre no sentido inverso aos dos ponteiros do relógio. As mulheres com suas saias abaixo do joelho, rodadas e coloridas, tomam conta do salão quando fazem evoluções. Os gritos e a queda de corpo dos homens também dão ao espetáculo um movimento ímpar de dança típica do folclore do Amapá.

O que é “Marabaixo”?

O Marabaixo é uma manifestação religiosa que acontece no Amapá, praticada por remanescentes de quilombos, os quais demonstram sua fé através da dança, do canto e do consumo da gengibirra, bebida feita à base de gengibre e álcool. 

É uma festa religiosa em louvor à Santíssima Trindade e ao Divino Espírito Santo, realizada através de missas que misturam danças, músicas, ladainhas. As danças e músicas são improvisadas, originalmente, e devem representar a realidade vivida, o dia-a-dia de uma comunidade. Por representar situações cotidianas, o Marabaixo pode ser composto de movimentos que lembram lutas, como também movimentos que lembram a alegria, a tristeza e a paixão.

Os instrumentos utilizados são caseiros, confeccionados rusticamente de madeira cavada, transformada numa espécie de caixa imitando o som de tambores. Recebem o nome de membranofones. Participam negros e mulatos, em maioria, que respondem em coro a uma espécie de “desafio” tirado por um cantador ou cantadora, que lança os improvisos.

As festividades do Marabaixo se iniciam no domingo de Páscoa e terminam no dia do Divino Espírito Santo, ou seja, quarenta dias após o domingo em que se comemora a ressurreição de Cristo.

Em 2004, o governo do Amapá instituiu, no calendário folclórico do estado, o Ciclo do Marabaixo. Essa medida fez valorizar e divulgar a tradição, chamando a atenção de turistas e levando as escolas a trabalharem essa festividade como um importante marco da cultura local. Ao mesmo tempo, diante do estabelecimento desse Ciclo, os praticantes mais antigos do Marabaixo argumentam que os valores básicos da tradição, ligados à religiosidade e à cultura negra, tornam-se menos importantes para os novos e jovens integrantes, o que poderemos mudar através deste Projeto, o qual visa incentivar todo o povo do Estado do Amapá a manter aceso o espírito da cultura amapaense.

Desenvolvimento do Projeto

O Projeto pretende selecionar músicas que envolvam o tema “Batuque e Marabaixo”, por meio de concurso que será realizado pela internet. As músicas serão expostas ao público em geral que irá votar. As dez mais votadas serão apresentadas em show que será realizado em praça pública e serão gravadas em CD alusivo ao projeto.

As inscrições serão on-line e grátis; qualquer pessoa poderá se candidatar, exceto as especificadas em Edital próprio do concurso. Os candidatos deverão enviar a gravação da música via web com acompanhamento de, no mínimo, um instrumento musical; cada autor poderá inscrever até duas músicas; o autor da música, ao se inscrever, automaticamente, autorizará a reprodução de sua obra no CD “Batuque e Marabaixo” e no site do Instituto Shelter de Proteção da Vida.

Ao término do prazo para inscrições das músicas, abrir-se-á um tempo para a votação via internet com uma única votação válida para cada endereço de IP.

 

Findo o tempo do concurso, serão eleitas as 10 músicas que tiverem o maior número de votos; as músicas selecionadas pelo público serão apresentadas em um Show aberto ao público; durante o Show, haverá a escolha das 3 melhores músicas por jurados selecionados pelo Instituto Shelter, as quais serão premiadas em dinheiro, a ser negociado com os patrocinadores, pessoas físicas ou empresas privadas.

Nossos Parceiros:

  • Facebook App Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ App Icon

© 2016 www.institutoshelter.org. Criado por Rosalina das Neves Bittencourt Tork, ativado por Wix.com